Ele não é um mal necessário

Eu ouço o nome dele ou o apelido injustificável “mito” sendo dito para ameaçar as amigas travestis

Antes nem fossem minhas conhecidas, a ameaça ainda me amedrontaria

Não só porque sou mulher, o que já bastaria

Mas somos todas e todos aqueles que se indignam e que sofrem por se importarem e que dizem #elenão; somos os cidadãos identificados como alvo

Somos potenciais presas a lutar enquanto livres para não sermos capturados por um governo na esteira do golpe, dito radicalização justificada ou única mudança possível, mas que é intolerância autoritária e desmonte

Imagino o conforto com que machistas racistas homofóbicos preconceituosos em geral vão apontar dedos ou revólveres ou praticar seus comportamentos mais condenáveis ao se identificarem com o presidente do país

Uma vez o pobre se viu na presidência da república e pôde se sentir digno, tem quem ache que foi ousadia

Quem diz as palavras de ódio quer responder com armas de fogo, prefere ser criminoso, e não dialoga mais

Os de bom senso, eleitores envergonhados dele, crentes no combate a uma ideologia: se abstenham!

Não sejam culpados pela violência que se anuncia

 

Priscila Kerche é participante do Clube da Escrita para Mulheres e escreve no https://medium.com/@priscila.kerche

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *