#elenão

Não, não é dele que eu tenho medo

Ele não passa de um homenzinho zangado

 

O meu medo é do senhor

cidadão de bem

descrente da democracia

cheio de raiva e vazio de empatia

Amparado pelo ódio

em busca de um culpado

louco pra fazer justiça

(a sua justiça)

com uma arma na mão

 

O meu medo é do que ele já fez

com o meu vizinho

meu irmão

Do que ele legitima

do que ele incita o senhor a fazer

 

Eu entendo a sua raiva

de verdade

eu entendo

 

Mas será que o senhor não consegue entender o meu medo?

 

Aline Caixeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *