Eles e Elas Não!

Só porque eu nasci mulher, só porque me intitularam do sexo frágil não significa que sou fraca.

Não significa que preciso ser violentada, violência essa presente todos os dias.

Velada e silenciosa.

Suja e preconceituosa.

Máxima hipocrisia entre roda de conversas, uma recepção mentirosa:

“Não te aceitamos, fingimos que não vemos seu potencial!”

Essa repulsa já nasce na infância e não é cuidada de forma empática.

Te impregnaram que meninos não brincam com meninas ou com nossos brinquedos e brincadeiras.

Sinto em dizer que mentiram a vida toda para você.

Hoje, você vive uma utopia em escolher uma mulher ideal, mas não se liga nos seus princípios do que seria Ideal.

“Ah, uma mulher que lave, passe, cozinhe, mantenha a casa limpa, use saia longa, esteja muito linda nas reuniões de família e, principalmente, seja uma boa mãe”.

Poxa, me agregaram mais alguns pesos. O que é ser boa mãe? Tem modelo para isso? Quando poderei satisfazer minhas próprias expectativas dentro disso tudo?

Desconstrua essa Amélia.

Não merecemos viver uma vida resignada para satisfação do homem e os olhares tortos de sua família.

Respire fundo, porque tem mais.

No quadro seguinte, vamos encontrar uma mulher de baixa autoestima, descabelada, cansada, esgotada, que vive em prol dos outros,  tão passiva que não consegue pedir socorro ou suplicar por ajuda.

Onde estão seus direitos? Sucumbiram, violaram, massacraram e apagaram.

Seus direitos estão ali e acolá em todo lugar que você queira estar.

Eles só precisam ser vistos e serem enxergados num ato de empoderamento.

Cada direito conquistado a muito custo e feito especialmente para você, Mulher.

Porque você foi forjada de resistência e poder. Saiba usar cada um desses direitos e compartilhá-los com o mundo. Mais alguém precisa despertar e se unir em novas conquistas de igualdade. Essa guerra tem que acabar, homens e mulheres precisam se amar genuinamente.

O mundo necessita de mais amor. Comece mudando seus preconceitos.

Porque de discurso de ódio já estamos cheios. Por isso, digo: Eles e Elas não!

 

Liamara “Liartemis” Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *